• Lattualita

    CâMARA DE VEREADORES DE SãO MARCOS

    Vereador suplente Iraci Magrin assume cadeira na Câmara de Vereadores de São Marcos durante mês de afastamento de Fulvio Pessini: ‘Pela valorização dos companheiros de partido’

    Vereador Magrin (MDB) assumiu como vereador nesta segunda-feira (24) e permanece na Câmara pelo período de 31 dias, no lugar do vereador Fulvio Pessini, que solicitou afastamento

    1 ano atrás

    Vereador suplente Iraci Magrin, do MDB (Foto divulgação)

Fulvio justifica que regimento interno permite afastamento de 30 a 120 dias
Fulvio justifica que regimento interno permite afastamento de 30 a 120 dias

Na noite desta segunda-feira, dia 24 de junho, o vereador suplente Iraci Magrin (MDB) tomou posse de uma cadeira na Câmara de Vereadores de São Marcos, após o afastamento do vereador Fulvio Pessini, que solicitou licença pelo período de 18 de junho a 18 de julho. “No nosso regimento interno, o artigo 21 inciso segundo prevê que o vereador pode solicitar uma licença por motivos pessoais, num período de no mínimo 30 dias e no máximo 120 dias, então seria de um mês a quatro meses. O primeiro suplente seria o Glaucio Brochetto, mas como o Glaucio está no cargo de secretário municipal de Agricultura, ele renunciou e aí passou para o segundo suplente, que é o Iraci Magrin”, detalha Fulvio Pessini, destacando que o vereador suplente irá exercer as suas mesmas funções de vereador titular. “Ele vai participar de 4 sessões na Câmara. Como eu sou líder de governo, a líder da bancada do MDB Patrícia Camassola vai indicá-lo para assumir essa função de líder de governo. E também na comissão de Orçamento e Finanças, que eu sou presidente, e participo com os vereadores Luci Casarotto e José Airton Muller, ele vai ingressar também como presidente dessa comissão. Então o Iraci Magrin vai ter as mesmas atribuições que eu”, assinala o vereador.

Conforme aponta, o afastamento de vereadores é uma ação comum no Legislativo. “Essa questão de afastamento é muito corriqueira. No mês passado, em Flores da Cunha e Antonio Prado, houve 2 casos de vereadores da bancada do MDB que se afastaram. Em Antonio Prado o vereador se afastou por 2 sessões, porque lá o regimento deles prevê 15 dias. Eu acho muito pouco, porque se o vereador suplente entra apenas para 2 sessões, e talvez apresente um projeto numa sessão, já na outra sessão ele vai estar se retirando”, observa Fulvio. O vereador ressalta que o seu afastamento de 31 dias da Câmara visa a valorização do vereador suplente Iraci Magrin. “Se o partido elege 2 vereadores, o terceiro e o quarto colocados sabem que, no mínimo 1 ou 2 meses durante a gestão, vão assumir como vereador. E se elege 4 vereadores, o quinto, sexto, sétimo e oitavo sabem que vão assumir. Então é uma forma de valorização e a minha intenção neste caso foi essa, de valorizar os companheiros. A gente não chega a lugar nenhum na política sem os companheiros, sem a participação de todos. Na última eleição tinha 85 candidatos, o Iraci Magrin foi o nono colocado e o Glaucio Brochetto foi o oitavo. Então pela votação popular o Glaucio e o Magrin estariam na Câmara de Vereadores, eles só não estão por uma questão de coeficiente eleitoral. É muito justo que eles participem por algum período na Câmara. Eles juntos fizeram quase 800 votos. Então se nós garantimos uma quarta vaga do MDB foi graças a votação do Iraci e do Glaucio”, salienta Fulvio Pessini, informando que não receberá o salário de vereador referente a este um mês de afastamento. “Quem recebe é o vereador suplente”, pontua.

Iraci Magrin já foi vereador de São Marcos por quatro mandatos. Em sua posse nesta segunda-feira (24), após prestar o compromisso legal para assumir o cargo, o vereador já participou da sessão ordinária, assim como fez uso da palavra na pauta (quando os projetos entram na Câmara para primeira discussão) e nas explicações pessoais, onde cada vereador tem 5 minutos para falar de qualquer assunto que seja de seu interesse.