• Lattualita

    PLANTãO POLICIAL

    Polícia Civil de São Marcos prende suspeito de envolvimento no caso Kauana: ‘aumentou a tese de que, infelizmente, a menina possa estar morta’

    Mulher suspeita de envolvimento no caso foi presa temporariamente nesta segunda-feira (29). Irmão de Kauana foi ouvido pela Polícia Civil e revelou novos detalhes do caso

    2 semanas atrás

    Kauana Santos, 16 anos, sequestrada na noite desta sexta (26) em São Marcos, permanece desaparecida

Na manhã desta segunda-feira, dia 29 de junho, a Polícia Civil de São Marcos prendeu uma mulher suspeita de envolvimento no caso de homicídio seguido de incêndio e sequestro de uma jovem, na noite da última sexta-feira (26). Um homem, ainda não identificado, invadiu a propriedade rural, localizada na Linha Marechal Deodoro, interior do município, e matou Irene da Fonseca, 67 anos, natural de Ponte Serrada (SC), na sequência incendiando a moradia e levando a neta como refém, Kauana dos Santos, de 16 anos, residente em São Marcos há menos de um ano e ainda não localizada pela polícia. De acordo com o delegado da Polícia Civil de São Marcos, Edinei Albarello, a mulher presa temporariamente nesta segunda-feira (29) pode saber as motivações do crime. “Falamos com várias pessoas, testemunhas, familiares, enfim, para tentar entender essa questão toda. E foi presa temporariamente, por 30 dias, para fins de investigação, uma mulher suspeita que pode ter algum envolvimento neste caso, algum conhecimento de todo o problema que aconteceu ali. Não quero dizer que ela tenha executado, não é o executor, mas ela pode ter algum tipo de envolvimento. Nós recolhemos o depoimento dessa pessoa. Ela não é de São Marcos, é de um município da região”, detalha o delegado.

Conforme informa Edinei Albarello, o irmão de Kauana, de 7 anos, que presenciou o crime, foi ouvido pela Polícia Civil neste domingo (28) e revelou novas informações do caso. “Naquela casa morava um casal, o menino, a adolescente e a idosa. O homem é pai do menino e da adolescente. A mãe da Kauana é de Santa Catarina. O casal saiu trabalhar depois do meio dia e no final da tarde eles não tinham voltado para casa ainda. Então estavam três pessoas em casa, a avó e os dois netos. Daí um homem, que o menino não conhece, entrou na residência com uma espingarda na mão e começou uma discussão com a idosa. O menino viu que a discussão se agravou, ele disse que a irmã correu se esconder no banheiro e ele conseguiu fugir para fora da casa e se esconder. Nesse momento ele escutou disparos de arma de fogo lá no interior da casa e ficou escondido por mais um tempo”, narra Edinei Albarello.

Conforme conta o delegado de São Marcos, o irmão de Kauana relatou que o criminoso usava uma camisa para esconder o rosto e saiu da casa arrastando a menor de 16 anos pelo braço. “Então o menino correu para dentro de casa, viu a avó com sangue no pescoço, provavelmente por causa de um tiro, e ela pediu ajuda. Só que, quando ele foi tentar sair viu que começou a pegar fogo na casa e não chegou a ver se foi o homem que iniciou o incêndio, mas óbvio que foi. Ele saiu para não se queimar também e viu a direção que esse indivíduo correu com a menina, foi em direção à mata debaixo da casa. O menino foi para a estrada, tentar procurar ajuda, e uma pessoa o encontrou já meio desorientado, quando já era noite”, relata o delegado.

‘A probabilidade de Kauana estar morta é maior, aliada ao sangue do casaco e outras informações que temos desde ontem (dia 28)’

De acordo com Edinei, no caminho percorrido pelo indivíduo que levou Kauana, foi encontrado sangue no chão e, já dentro da mata, os policiais encontraram o casaco da menina, que foi reconhecido por familiares e também estava com marca de sangue. “Depois não teve mais vestígios, então o indicativo do sangue nos 2 locais sugere que, no mínimo, essa menina pode estar machucada. Por esta razão que foram feitas todas aquelas buscas no sábado (27), pela Polícia Civil e Brigada Militar. Com a prisão desta pessoa suspeita de envolvimento no crime e mais outras investigações que estão sendo feitas, começamos a entender um pouco melhor o caso e, agora, aumentou a tese de que, infelizmente, a menina possa estar morta. A probabilidade é maior, aliada ao sangue do casaco e mais essas outras informações que temos desde ontem, no final da tarde”, assinala o delegado de São Marcos, salientando que seguem as buscas pela jovem e pelo suspeito dos crimes. Edinei Albarello reforça que informações anônimas sobre o caso podem ser passadas para a Polícia Civil de São Marcos através do WhatsApp (54) 9 84089864.