• Lattualita

    EDUCAçãO

    Escolas de São Marcos seguem funcionando com aulas online

    Escola Orestes Manfro, Link Idiomas e Speakeasy já adotaram novas estratégias para seguir com os estudos em época de pandemia. Alunos podem acessar plataformas para assistir às aulas ou obter conteúdos e tarefas online

    5 meses atrás

    Aulas nas escolas de idiomas seguem no formato online (foto: divulgação Link Idiomas)

São Marcos já tem um caso em investigação do Covid-19. Por esse motivo, se reforçam ainda mais as atitudes de prevenção e tentativas de redução de contágio do novo vírus. As escolas do município já adotaram estratégias para não interromper os estudos e manter seus alunos seguros e isolados. Na Escola Estadual Orestes Manfro, por exemplo, todos os alunos têm acesso às atividades de forma online. A partir do 6º ano, os estudantes podem acessar um ‘drive’, com orientações e atividades preparadas pelos professores. “As professoras organizaram as aulas por um período. Os alunos maiores têm o drive, cada um tem o seu e-mail e as professoras vão postando as atividades que eles precisam fazer”, explica a diretora da Orestes, Nádia Mussatto Miotto.

Já os alunos menores obtêm os conteúdos através do WhatsApp. “Para os menores vamos postando no Whats as coisas que os professores querem que eles façam. Eles já estão levando uma material bem significativo”, destaca. Os professores fornecem todas as atividades de casa, sem a necessidade de irem até a escola. No entanto, a diretoria segue funcionando. Em relação à recuperação de aulas na rede estadual, Nádia informa que ainda não há todas as diretrizes estabelecidas. “Não tem nada completamente claro, estamos esperando as normativas que ainda não chegaram. Tem uma lei que ampara em casos de pandemia, e já está previsto que não tem necessidade de recuperação dessas aulas. Mas temos que esperar ainda”, informa.

Escolas de inglês têm aulas online

Nas escolas de idiomas não é diferente. As aulas presenciais estão suspensas por tempo indeterminado, mas os estudos não podem parar. Na Speakeasy Escola de Idiomas, por exemplo, todas as aulas serão feitas de forma online. “As medidas protetivas contra a disseminação do novo coronavírus não nos pegaram totalmente de surpresa, desde o início do ano já vínhamos discutindo com nossa equipe de professores qual seria a melhor plataforma para transformarmos nossas aulas presenciais em aulas totalmente online, já que 95% de nossas aulas são presenciais”, detalha a sócia-proprietária e professora da Speakeasy, Mônica Scodro.

Speakeasy possui alunos dos três aos 80 anos de idade, e todos estarão inseridos em novo formato

A Speakeasy já teve experiências de aulas online para alunos que foram morar no exterior durante o curso de idiomas e possui plataforma de práticas online. “Todos os nossos materiais da editora Cambridge e Cengage já oferecem uma plataforma de prática online que os alunos utilizam há alguns anos e estão familiarizados com ela.  O material utilizado para os adultos consiste em um combinado de conteúdos presenciais e conteúdos online, a partir de agora vamos contar com este recurso ainda mais”, informa. É assim que funcionarão as aulas na escola até que cesse o “lockdown”, termo do inglês utilizado para se referir a um protocolo de emergência, onde pessoas ficam restritas a uma área para se protegerem de alguma ameaça externa.

Aula online com professora da Speakeasy

Mônica ressalta que as experiências online não terão os mesmos resultados e eficácia das aulas presenciais, mas são a melhor maneira de dar sequência ao aprendizado. A Speakeasy possui alunos dos três aos 80 anos de idade, e todos estarão inseridos nesse novo formato.  “Ensinar online é uma ótima oportunidade de aprendizado para nós enquanto escola, para nossos professores e para os alunos. Teremos que adaptar nossa prática, nem todas as atividades que realizamos em sala de aula serão possíveis online, teremos que testar como funcionará nas próximas semanas e enfrentar novos desafios que ainda estão por surgir”, pontua a professora, caracterizando o período também como uma forma de aprender a sermos mais flexíveis em nossas atividades.

Na Link, aulas semi-presenciais já eram utilizadas por meio do Google for Education

Através de plataforma da Google for Education alunos interagem apenas online (foto: Link Idiomas)
Através de plataforma da Google for Education alunos interagem apenas online (foto: Link Idiomas)

A Link Idiomas e Comunicação também já se adaptou a um novo formato para enfrentar a crise do Covid-19, sem prejudicar o andamento das aulas e a aprendizagem dos alunos. “As aulas já estão acontecendo no formato online, pela plataforma da Link Idiomas”, anuncia a diretora e professora da escola, Candice Soldatelli. Mas este não é um método tão novo para a Link, pois a escola já vinha desenvolvendo atividades neste formato através de parceria com a Google for Education, um serviço da Google que oferece diferentes ferramentas para alunos e professores criarem e desenvolverem juntos. “Somos a única escola certificada pela Google em toda a Serra gaúcha. Conseguimos por meio deles essa plataforma e estamos implantando desde o ano passado, algumas aulas já eram semi-presenciais. Então aqui não muda nada, continua aula normal, mas os alunos assistem em casa”, destaca Candice.

Professores seguem oferecendo conteúdos e tarefas aos alunos (foto: divulgação Speakeasy)
Professores seguem oferecendo conteúdos e tarefas aos alunos (foto: divulgação Link Idiomas)

Além da escola em São Marcos, a Link Idiomas possui duas escolas em Caxias do Sul, sendo uma em Ana Rech e outra no Centro, voltada para a formação de profissionais bilíngues. Nesta unidade, as aulas online já eram comuns. “Aqui usávamos a modalidade online só em situações específicas, mas nessa em Caxias já havia 50% dos cursos na modalidade online há tempo”, informa a professora Candice Soldatelli.