• Lattualita

    PLANTãO POLICIAL

    Corpo de Kauana encontrado: Polícia Civil prende autor confesso de homicídio de avó e neta

    Nesta terça-feira (30), a Polícia Civil de São Marcos prendeu Leandro Daniel Hoffmann, caseiro acusado de matar mulher de 67 anos, incendiar casa e raptar jovem de 16 anos na última sexta-feira (26). Corpo de Kauana foi encontrado em córrego a 300 metros da residência onde morava

    1 mês atrás

    Leandro Hoffmann, 31 anos, já era foragido da Justiça (foto: divulgação Polícia Civil de São Marcos)

O autor confesso de crime que chocou a comunidade de São Marcos e região está preso. Na tarde desta terça-feira, 30 de junho, a Polícia Civil de São Marcos capturou o caseiro acusado de matar a avó, Irene da Fonseca, de 67 anos, incendiar a casa onde residia a família e raptar a neta de 16 anos, Kauana Santos. Por volta das 20h, Leandro Daniel Hoffmann, 31 anos, foi levado até a propriedade na Linha Marechal Deodoro (interior de São Marcos) – onde ocorreu a sucessão de crimes na noite da última sexta-feira (26) – para que indicasse onde ocultou o corpo da menor, que estava desaparecida. O corpo de Kauana foi removido, com a ajuda do Corpo de Bombeiros de São Marcos, do leito de um córrego, localizado a 300 metros da moradia incendiada.

O delegado de Polícia Civil de São Marcos, Edinei Albarello, descreveu como aconteceu a captura do até então suspeito e procedimentos adotados pela equipe de investigação. “O trabalho de investigação da Polícia Civil identificou o paradeiro do suspeito em Caxias do Sul, que foi preso hoje à tarde (terça-feira, 30), e ele indicou onde estava o corpo da menina. Ela estava dentro do riacho, coberta por pedras. Foi retirado o corpo pela Polícia Civil com a ajuda do Corpo de Bombeiros e estamos agora indo a Caxias do Sul para fazer o registro policial e os demais encaminhamentos”, revelou o delegado em entrevista por volta das 21 horas desta terça-feira (30).

Corpo de Kauana apresentava sinais de violência

O corpo da jovem Kauana Santos, de 16 anos, estava escondido debaixo de algumas pedras dentro de um riacho a cerca de 300 metros da residência na chácara localizada na Linha Marechal Deodoro. Equipes do Instituto Médico Legal (IML), Polícia Civil e Perícia estiveram no local para recuperar o corpo, que tinha marcas de violência, de acordo com os peritos, mas somente o exame de necropsia pode apontar a causa da morte.

No dia dos crimes, sexta-feira (26), outro menor de idade, irmão da adolescente sequestrada, de 7 anos, conseguiu fugir e teria visto o momento em que o homem arrastou a irmã por uma trilha. Ele também prestou depoimento à Polícia no último domingo (28), sendo peça fundamental na elucidação do crime.

Autor confesso não explica motivação dos crimes

Segundo o delegado Edinei Albarello, Leandro Daniel Hoffmann foi encontrado em Vila Oliva, interior de Caxias do Sul. “Ele estava escondido na região de Vila Oliva, quando viu a viatura fugiu e os policiais capturaram ele já entrando no mato. Chegamos ao local através do trabalho de investigação da Polícia Civil”, revela Edinei. O delegado relata que Leandro confessou os crimes à polícia, mas não revelou a motivação. “Ele não falou especificamente o motivo. Ele só disse que matou a menina e a senhora idosa e nos indicou o corpo, não deu detalhes de porque estava fazendo aquilo”, afirma Edinei Albarello, destacando a percepção dos policiais em relação ao homem. “Frio, bem frio, totalmente indiferente ao fato”, observou o delegado.

O acusado dos crimes seria morador de uma outra residência que fica no mesmo terreno onde residiam as vítimas e estava desaparecido desde o momento dos crimes na propriedade. Leandro já era foragido da Justiça da cidade de Capanema, no Paraná, onde é acusado de ter matado os irmãos Marcos Floriano e Marcelo Floriano na cidade paranaense, em junho de 2015. Ele é natural de São Leopoldo (RS). Pelo crime em São Marcos, ele já estava com a prisão preventiva decretada desde segunda-feira (29).

Uma mulher, de 27 anos, que não teve a identidade revelada, foi presa preventivamente na manhã de segunda-feira (29). Ela foi ponto chave para a localização do acusado, que, após indicar onde estava o corpo da menina, foi encaminhado para a Central de Polícia, em Caxias do Sul, onde prestou depoimento.