• Lattualita

    CORONAVíRUS

    Caminhoneiros pedem que governo libere pedágios durante pandemia do coronavírus: ‘é muito importante valorizar e auxiliar os motoristas nesse momento’

    Transportadores de cargas reivindicam suspensão temporária da cobrança de pedágio e das fiscalizações nas rodovias durante a vigência do decreto de calamidade pública, para auxiliar no escoamento das cargas no país

    4 dias atrás

Transportadores de cargas entregaram ao governo federal neste dia 24 de março, terça-feira, uma pauta de demandas da categoria, em que pedem, entre outras medidas, a suspensão temporária da cobrança de pedágio, conforme afirmou o presidente da Associação Nacional dos Transportadores de Cargas (Anut), Luís Baldez. O pedido foi feito aos ministros da Economia, Paulo Guedes; da Casa Civil, Braga Netto; e da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas. Na carta, a entidade quer que haja a suspensão de fiscalizações nas rodovias durante a vigência do decreto de calamidade pública em razão da pandemia de coronavírus – medida que pode ajudar no escoamento das cargas no país, segundo a entidade. A Anut também defende o adiamento da cobrança de impostos que incidem no transporte no período e cobram que as autoridades atuem para que haja uma espécie de “porta de saída rápida” para o período de confinamento que passam várias regiões brasileiras.

‘O motorista está deixando a família dele em casa e está procurando ajudar a família dos outros’

O diretor da Rodocell Transporte e Logística Ltda , de São Marcos, Rodrigo Michelon, aponta para a importância de valorizar e auxiliar a classe dos motoristas, que prestam serviço essencial nesta época de pandemia. “É muito importante a valorização dos motoristas nesse momento, que todo mundo procure auxiliá-los. Entregar uma máscara, porque quem está dentro da cidade tem acesso mais fácil, ou um tubinho de álcool gel. A própria refeição também, que muitas vezes eles não estão encontrando restaurantes na beira da pista, onde eles possam fazer suas refeições. Então é muito importante que a população valorize quem está trazendo a comida para as cidades. Mais uma vez o Brasil está dependendo dos motoristas, mais uma vez a nossa classe está fazendo a diferença, então pedimos, por favor, que todo mundo, de qualquer maneira que seja, auxilie. O motorista está deixando a família dele em casa e está procurando ajudar a família dos outros”, pontua Rodrigo.

Transportador Rodrigo Michelon explica sobre adoção de medidas preventivas para caminhoneiros

O transportador revela que a Rodocell utiliza o Via Fácil, sistema de pagamento eletrônico veicular implantado no Brasil, que permite livre acesso a pedágios e estacionamentos cadastrados por uma taxa única mensal. “Nós temos em todos os caminhões as tags da Via Fácil, onde o motorista não precisa parar para pagamento de pedágio. Utilizamos para evitar questão de assalto, demora em praça de pedágio, e o motorista ter que ficar com muito dinheiro. Agora até é muito oportuno para essa situação do coronavírus. Acho que todo ato, todo gesto que diminua o contato entre pessoas é válido”, destaca Rodrigo.

Ele cita medidas preventivas adotadas pela Rodocell durante a pandemia do coronavírus. “Temos instruído todos os motoristas da frota para quando descer do caminhão fazer uso de máscara ou de algum pano no rosto para inibir alguma coisa; utilizar álcool gel quando voltar para a cabine; deixar os sapatos nos degraus do caminhão e não contaminar a cabine, porque ali dentro é um local bem seguro para eles, não tem contato de ninguém. Estamos pedindo para não dar carona para ninguém, mesmo quando for descarregar, não levar o ‘chapa’ junto do caminhão, pagar um outro transporte para ele ir, não colocar ninguém dentro da cabine para não prejudicar a sua segurança também. Estamos muito preocupados, instruindo todos os motoristas e torcendo para que se resolva o quanto antes esta situação”, ressalta Rodrigo Michelon.