• Lattualita

    CORONAVíRUS

    EDUCAçãO

    Alunos do Ginásio promovem força tarefa para produção de máscaras

    Em São Marcos, ação entre alunos do 3º ano do Ensino Médio busca parceria com costureiras voluntárias para confecção do material. Primeira remessa, de 150 máscaras, será entregue nesta quarta-feira (8) em estabelecimentos comerciais que seguem em funcionamento no município

    4 meses atrás

    Costureiras doam tempo de trabalho para produção de máscaras para trabalhadores (foto: divulgação)

A pandemia do Covid-19 tem despertado o sentimento de solidariedade nos diversos segmentos da sociedade. Na educação, iniciativas também estão beneficiando muitas pessoas. Diante da preocupação em relação ao contágio do novo coronavírus, principalmente entre aqueles que seguem trabalhando para manter as atividades essenciais, alunos do Colégio Estadual São Marcos, o Ginásio, iniciaram uma força tarefa. A partir de iniciativa da professora Patrícia Camassola, os estudantes do terceiro ano do Ensino Médio buscaram costureiras voluntárias para a produção de máscaras. Este Equipamento de Proteção Individual (EPI) está em falta no mercado e reduz as chances de transmissão do Covid-19 (além de outros vírus).

O objetivo é entregar as máscaras confeccionadas para profissionais que seguem atuando em estabelecimentos de

Seis costureiras aderiram ao voluntariado (foto: divulgação)
Seis costureiras de São Marcos aderiram ao voluntariado (foto: divulgação)

atividades essenciais, como mercados, padarias e postos de combustível. “Como o ministro da Saúde liberou o uso de máscaras e elas estão em falta no mercado, na última sexta-feira (3) lancei no WhatsApp da turma um convite: para doarmos máscaras para pessoas que estão na linha de frente. Eles começaram a responder que sim, que queriam participar dessa ação de solidariedade”, relata a professora Patrícia.

Ela explica que propôs aos alunos que faria a doação do material e eles precisariam buscar costureiras voluntárias para se juntarem à ação. “Enquanto professora, eu patrocinaria o tecido, linha, elástico, e eles teriam que conseguir costureiras voluntárias e fazer o levantamento nos estabelecimentos de quantas máscaras seriam necessárias”, detalha. Os alunos aderiram à proposta e, atualmente, seis costureiras estão envolvidas no trabalho. Além delas, o projeto contou com outras parcerias no município. “Entrei em contato com uma comerciante, ela abriu a loja para mim, e procurei uma costureira que está fazendo máscaras para vender. Ela cedeu o modelo, algumas prontas, para que a gente pudesse levar para as demais costureiras”, ressalta Patrícia.

Primeiras 150 máscaras serão entregues nesta quarta-feira (8)

150 máscaras foram produzidas desde segunda-feira (6) (foto: divulgação)
150 máscaras foram produzidas desde segunda-feira (6) (foto: divulgação)

A primeira remessa de máscaras já está pronta e será entregue na tarde desta quarta-feira, 8 de abril, nos estabelecimentos consultados pelos alunos. “Os alunos, por telefone, fizeram contato com padarias, mercados, postos de combustíveis, para verificar o número de colaboradores em cada estabelecimento. Hoje faremos entrega das primeiras 150 máscaras nestes estabelecimentos. Totalmente doadas para as pessoas que estão mais na linha de frente”, pontua a professora.

Ela destaca que a proposta gerou sentimento de solidariedade e ação nos alunos, que têm entre 16 e 17 anos. Além disso, o tempo de isolamento se transformou em tempo de voluntariado para apoiar uma causa de relevância mundial. “Com essa ação estamos desenvolvendo a empatia e a cidadania em alunos e adolescentes. É para que eles também sejam protagonistas frente a tudo que estamos vivendo, que desenvolvam esse lado de ação concreta”, finaliza Patrícia Camassola.