• Lattualita

    COLUNISTAS

    Geraldo Sandri - geraldosandri65@hotmail.com

    Por que as taxas de juros não caem: 11 passos para se livrar das dívidas

    Caros leitores, neste espaço pretendemos escrever sobre variedades, economia, administração, também algumas considerações sobre política e gestão de uma forma geral.

    2 anos atrás

Hoje vou fazer uma pequena análise sobre finanças pessoais, taxa de juros e os motivos que nos levam a ter juros tão altos no Brasil.

 

As taxas de juros cobradas em qualquer operação são determinantes para o aumento do consumo ou para os investimentos, seja das famílias ou das empresas. E quando falamos em consumo e investimentos estamos nos referindo também à circulação de moeda, compra de mercadorias e serviços, geração de emprego e renda e melhoria na qualidade de vida da população.

 

E PORQUE AS TAXAS DE JUROS NÃO CAEM?

 

A taxa Selic (juros básicos da economia) baixou de 6,75% a.a. para 6,50% a.a. na última reunião do COPOM (Comitê de Política Monetária), taxa mais baixa desde 1986. Por outro lado, os juros médios pagos pelas Pessoas Físicas está em 133,7% a.a., mais de 20 vezes a SELIC. Além disso o Banco Central reduziu o Depósito Compulsório dos Bancos, liberando mais dinheiro para circulação na economia (estima-se que a redução injetou 27 bilhões de reais na economia), isso no final de março de 2018. O governo federal está tomando algumas medidas para forçar os bancos a reduzirem esta taxa, mas enquanto isso vamos ter cuidados. Os motivos para as taxas altas são explicados por fatores como: inadimplência, tributação, custos operacionais, e o que é mais significativo: a busca incessante por lucros cada vez maiores das instituições financeiras.

 

5 COISAS QUE PRECISAMOS SABER

 

  • -Antes do crédito, a vida financeira deve estar organizada com um orçamento doméstico. Definir quais são as reais necessidades e planejar gastos considerando a renda disponível. Ter gastos dentro do salário ou renda.
  • -Somente deve buscar crédito quem tiver dinheiro para pagá-lo. Ao contrário, a maioria busca o crédito justamente por não ter o dinheiro que se precisa.
  • -Fazer uma reserva financeira, por menor que seja, mensalmente. Isso significa que você está dentro do orçamento e terá dinheiro em caso de necessidades inesperadas.
  • -Evite juros de Cartão de Crédito e Cheque especial, as taxas são proibitivas e de difícil pagamento.
  • -Não deixe as dívidas crescerem por conta dos juros de mora e das multas. Proponha logo uma repactuação.

 

6 PASSOS PARA SE LIVRAR DAS DÍVIDAS

 

  1. -Enfrente o problema, liste todas as dívidas, iniciando pelas maiores e mais caras.
  2. -Se tiver dinheiro aplicado, resgate e pague estas contas.
  3. -Reduza as despesas mensais e, se necessário, venda patrimônio, carros, terrenos, motos.
  4. -Estabeleça prioridades nos pagamentos, iniciando pelas mais caras e as que geram penalidades como água, luz, telefone, condomínio.
  5. -Procure os credores e repactue, reduza juros, enquadre as prestações no seu orçamento, mesmo que tenha que alongar o prazo, porém sempre reduzindo taxas. Alongar prazo com taxas muito altas pode ser fatal.
  6. -Por fim, recomenda-se um controle muito grande, disciplina no consumo e evitar endividamento desnecessário.