• Lattualita

    GERAL

    Causa animal: jantar anual da Sopran conta com presença da secretária Estadual do Trabalho e Assistência Social

    Evento contou com a presença da atual secretária Estadual do Trabalho e Assistência Social, a ex-deputada estadual Regina Becker Fortunati (Foto: divulgação Sopran)

    2 semanas atrás

    Secretária Estadual do Trabalho e Assistência Social, Regina Becker Fortunati com voluntárias da Sopran e integrantes do CTG Tio Carlo (Foto: divulgação Sopran)

Na noite deste último sábado, 10 de agosto, a Sociedade Protetora dos Animais (Sopran) de São Marcos realizou a edição 2019 do tradicional jantar beneficente à causa animal. O objetivo do evento é a arrecadação de fundos para compra de medicamentos, ração e castrações de animais abandonados e também pagamento de dívidas da entidade. De acordo com a atual presidente da Sopran, Carla Scopel, cerca de 400 pessoas compareceram ao jantar no salão da Capela Santa Bárbara, no bairro Industrial. Ainda conforme Carla, as despesas e lucros do evento serão divididos com o CTG Tio Carlo, uma vez que o evento foi realizado em parceria. O lucro será utilizado para pagamento de dívidas já contraídas pela Sopran. “O valor será destinado para pagamento de dívidas em quatro pets da cidade. Com certeza não será suficiente, mas diminuirá um pouco nossos débitos”, afirma Carla Scopel.

Jantar no salão do bairro Industrial no sábado, 10, contou com a presença de cerca de 400 pessoas (Foto: divulgação Sopran)

O jantar da Sopran contou, ainda, com a presença da atual secretária do Trabalho e Assistência Social do Rio Grande do Sul, a ex-deputada estadual Regina Becker Fortunati; e do seu esposo, o ex-prefeito de Porto Alegre, José Fortunati. “Eu vim a convite da Sopran e do Tchony (Alciones Marcos Daros). Esse jantar é importante, porque é uma forma de mobilizar a comunidade local a essa causa que nos une e nos preocupa tanto que é a questão dos direitos animais”, afirmou Regina em entrevista ao L’Attualità no início da noite do último sábado, 10. Ativista da causa animal há mais de 40 anos, Regina auxiliou o esposo José Fortunati na implantação da Secretaria Especial de Direitos dos Animais (Seda), em Porto Alegre, no ano de 2011. “Nós implantamos uma série de projetos dentro da Seda: atendimento total gratuito aos animais de famílias em situação de vulnerabilidade social cadastradas no Bolsa Família e no Cadastro Único; tínhamos uma equipe de nove veterinários e realizávamos 150 atendimentos por dia; durante quatro anos castramos mais de 30 mil animais, fêmeas e machos, cães e gatos; realizamos mais de 30 mil fiscalizações de maus tratos, indo na casa das pessoas e multando”, enumera Regina Fortunati. A Secretaria Especial de Direitos dos Animais (Seda), de Porto Alegre, foi extinta em janeiro de 2017, no atual governo de Nelson Marchezan (PSDB).

Ajude os animais de São Marcos: inscreva-se no Programa Nota Fiscal Gaúcha

O Programa Nota Fiscal Gaúcha (NFG) surgiu com o objetivo de incentivar os cidadãos, por meio da distribuição de prêmios, a solicitar a inclusão do CPF na emissão do documento fiscal ao realizar qualquer tipo de compra. Além de combater a sonegação, o programa beneficia entidades sociais destinando recursos a serem aplicados em seus projetos. Sempre que alguém se inscreve no programa, pode indicar três entidades do município onde reside para receber os recursos. O pedido da Sopran é simples: que o são-marquense cadastre o CPF na Nota Fiscal Gaúcha e indique a entidade para recebimento dos recursos. “O programa NFG propicia que as entidades assistenciais da causa animal, do esporte e da cultura possam receber um percentual do governo do Estado, proveniente do cupom fiscal que as pessoas exigem quando vão comprar uma mercadoria”, explica a secretária Estadual do Trabalho e Assistência Social, Regina Becker Fortunati. Ela acrescenta que incluir o CPF na nota fiscal ao efetivar uma compra não vai incidir em aumento no Imposto de Renda. “Não tem nada disso. A pessoa quando faz uma compra e exige uma nota fiscal e tem ali o seu CPF registrado no sistema do governo do Estado, ela estará ajudando o governo a atacar o problema da sonegação e ajudando as entidades que ela escolher”, destaca Regina, afirmando que as entidades recebem, a partir da pontuação feita a cada trimestre, o valor que pode variar entre R$ 3 e R$ 28 mil.

Secretária do Trabalho e Assistência Social do Estado, Regina Becker Fortunati, ouve demandas das voluntárias da Sopran (Foto: Jornal L'Attualità)
Secretária do Trabalho e Assistência Social do Estado, Regina Becker Fortunati, ouviu demandas das voluntárias da Sopran (Foto: Jornal L’Attualità)

Lei Orçamentária Anual do RS: ‘R$ 1,5 milhão para os animais’

Quando procurada por Eduardo Leite para assumir a pasta de Trabalho e Assistência Social, Regina Becker Fortunati afirma que não quis deixar de lado o projeto pessoal de defesa dos direitos dos animais. “Ele me propôs que dentro dessa pasta nós criássemos um Projeto de Lei, que, inclusive, já foi encaminhado para a Casa Civil, (e, posteriormente para a Assembleia Legislativa) que cria dentro da Secretaria do Trabalho e Assistência Social a questão dos direitos animais para que possa incluir em nosso trabalho a proteção aos animais das famílias pobres, em situação vulnerável”, conta Regina. O objetivo é criar políticas públicas e parcerias com o governo federal e com a iniciativa privada. A novidade foi a inclusão da causa animal na Lei de Diretrizes Orçamentárias do Estado. “Conseguimos incluir o valor de R$ 1,5 milhão por ano. A partir do ano que vem já teremos esse recurso, mesmo que pequeno”, comemora a secretária Regina Becker.

Pesquisa entre os gaúchos aponta: 82% estão preocupados com segurança

Em entrevista ao Jornal L’Attualità, a secretária Estadual do Trabalho e Assistência Social, Regina Becker Fortunati, falou sobre o projeto RS Seguro, uma iniciativa do governo Eduardo Leite (PSDB). A ideia surgiu após uma pesquisa feita com os gaúchos apontar que 82% da população está preocupada com a segurança pública. “Quando o governador Eduardo Leite ganhou a eleição, a primeira coisa foi fazer uma pesquisa e ver qual era a principal preocupação do povo gaúcho”, destaca Regina. Após entender que a preocupação estava na área da segurança, o governo investigou os municípios onde esses índices eram mais altos. “Identificamos 18 municípios como sendo responsáveis por 90% dos crimes cometidos no Estado. A partir daí, identificamos 80 bairros e dentro desses bairros 169 escolas com os índices mais altos. São nessas escolas que nós (da Secretaria Estadual do Trabalho e Assistência Social) iremos atuar”, aponta a secretária, citando o município de Passo Fundo como o mais violento do interior. “A grande preocupação do governador Eduardo Leite é não criminalizar os vulneráveis e os pobres, porque a tendência sempre é essa. Queremos dar ênfase para a educação e através das escolas levar cultura para esses ambientes e conseguir diminuir a violência”, enfatiza Regina Becker.

Regina Becker Fortunati afirma que, a partir desses dados, a Secretaria do Trabalho e Assistência Social irá focar o trabalho no estudo dos casos específicos de cada município. “Identificaremos os casos problemáticos, colocaremos assistentes sociais, montaremos comitês setoriais por município com a participação das universidades locais para fazer esse acompanhamento das famílias e das prefeituras”, afirma Regina, destacando que outras áreas (Educação e Saúde, por exemplo) também estarão envolvidas no projeto RS Seguro. A ideia deve entrar em prática até o final deste ano e os resultados serão mensurados ao final de 2020.