• Lattualita

    GERAL

    Advogada reclama de corte de árvores feito pela RGE em propriedade rural particular

    Proprietária de sítio em Pedras Brancas, advogada são-marquense denunciou corte de árvores feito pela RGE em sua propriedade: 'Derrubou árvores enormes'. Gerente da RGE afirma que companhia possui licença estadual para limpeza de vegetação próxima à rede de energia

    4 meses atrás

    Árvores de grande porte foram removidas em ação de rotina da RGE (Foto: arquivo pessoal)

Moradora reclama da falta de autorização dos proprietários
Moradora reclama falta de solicitação aos proprietários

Na manhã desta quarta-feira, 8 de maio, a advogada são-marquense, Eliane Boff, entrou em contato com o L’Attualità para denunciar corte de árvores feito pela RGE. Ela é proprietária de sítio no distrito de Pedras Brancas, onde a companhia teria retirado a vegetação, alegando estar em baixo da rede de alta tensão. Porém, a são-marquense reclama que não houve pedido de autorização, já que o corte aconteceu em área particular, na entrada da propriedade. “A RGE derrubou um monte de árvores na entrada do nosso sítio alegando que estava embaixo da rede de alta tensão. Derrubou árvores enormes. Não tem cabimento, o pessoal chega na propriedade e derruba um monte de vegetação”, reclama Eliane.

Ela comenta, ainda, que o local servia como habitat para um animal raro de se ver na região, por isso questiona a necessidade de licença ambiental. “Ali nesse lugar está aparecendo aqueles esquilos serelepes, um bichinho nativo da nossa região, mas é pouco visto e ali a gente viu várias vezes. Então teriam que ter um estudo do impacto ambiental para esse tipo de corte e uma autorização do órgão ambiental. Será que não dá para preservar um pouco a natureza?”, questiona a advogada.

 

RGE justifica: ‘70% das quedas de energia são causadas pelo vegetal de grande porte tocando na rede’

Diante da reclamação feita pela são-marquense, o L’Attualità entrou em contato com a RGE para obter esclarecimentos sobre o fato. O consultor de negócios da RGE para a região da Serra, Rafael Dallabrida, justificou que o corte está previsto nas ações de rotina da companhia, que possui licença para tal. “Anualmente a gente faz uma limpeza para eliminar as árvores que estão encostando na rede. Temos um plano de poda para a rede de baixa tensão na área urbana e para fazer a limpeza nos alimentadores, que são as redes de energia que transmitem a rede de alta tensão”, explica. Ele justifica, ainda, que a poda das árvores busca solucionar outras reclamações provenientes também dos moradores, referentes à queda de energia elétrica. “Em função dos temporais a gente ficou na mídia direto em função das interrupções de energia,  70% dessas quedas são causadas pelo vegetal de grande porte tocando na rede. Então nós fizemos um intensivo a partir disso e antecipamos essas limpezas, para diminuir a quantidade de cortes de energia”, pontua Rafael.

O consultor ressalta que a RGE também é submetida à fiscalização, por isso todas as ações são feitas de acordo com a legislação. “Temos uma licença estadual emitida pela Fepam para fazer a limpeza de faixa nos alimentadores. Em 7 metros para cada lado da rede ela nos permite suprimir qualquer árvore. Eu posso garantir que a gente respeita essa licença, porque nós também somos fiscalizados”, destaca, enfatizando que caso existam árvores de grande porte fora desse perímetro, que ameacem danificar a rede, a responsabilidade passa a ser dos proprietários. “Não adianta respeitar 7 metros sendo que ali no 7,2 metros tem um eucalipto de 20 metros, porque ele vai acabar jogando casca e galho na rede. Então, quando acontece isso, a gente faz a solicitação para proprietário, e ele que tem que fazer a retirada, porque não é nossa responsabilidade”, esclarece Rafael Dallabrida, consultor de negócios da RGE para a região da Serra.